REVITALIZE

Ancestralidade e Sustentabilidade – Passado e Futuro

O diferencial deste projeto é ter como prioridade o constante contato e conhecimento da realidade indígena sob todos os ângulos.Tanto com as instituições, as lideranças Indígenas, como com Órgãos do Governo, para que nosso posicionamento jamais peque pela falta de conhecimento global da situação.

Reduzidos demograficamente e sistematicamente sujeitos a pressões crescentes das frentes de expansão econômica que avançam sobre as terras e os recursos naturais, o futuro dos povos indígenas no Brasil é ainda incerto. Atualmente, calcula-se que apenas 400 mil índios ocupam o território brasileiro, principalmente em reservas indígenas demarcadas e protegidas pelo governo. São cerca de 215 etnias indígenas e 180 línguas. Enquanto nos anos 50 e 60 previa-se o desaparecimentos dos índios, hoje se constata uma recuperação demográfica e um ressurgimento de etnias que se ocultavam diante do preconceito. Continuam lutando, a pesar de tantas dificuldades, para se manterem vivos e, o mais importante, se manterem indígenas (portadores de um sistema sócio-cultural diferente). No que diz respeito à identidade étnica, as mudanças ocorridas em várias sociedades indígenas, como o fato de falarem português, vestirem roupas iguais às dos outros membros da sociedade nacional com que estão em contato, utilizarem modernas tecnologias (como câmeras de vídeo, máquinas fotográficas e aparelhos de fax), não fazem com que percam sua identidade étnica e deixem de ser indígenas.

A diversidade cultural pode ser enfocada tanto sob o ponto de vista das diferenças existentes entre as sociedades indígenas e as não-indígenas, quanto sob o ponto de vista das diferenças entre as muitas sociedades indígenas que vivem no Brasil. Mas está sempre relacionada ao contato entre realidades socioculturais diferentes e à necessidade de convívio entre elas, especialmente num país pluriétnico, como é o caso do Brasil.

Vale ressaltar que a cultura desses povos é riquíssima em lendas e histórias. Eles mantêm relações sociais que valorizam as ligações entre crianças, adultos e idosos. Além disso, há um cuidado especial com o meio ambiente e com a naturezaPerder esses valores significa deixar mais pobre toda a humanidade. Todos ganhariam muito na troca de experiências com essas crianças e suas famílias.

Objetivo geral

Contribuir para a revitalização da cultura indígena através da valorização dos capitais humano, cultural e material das comunidades.

Objetivos específicos

    • Diagnosticar principais demandas das comunidades indígenas do RS envolvidas (Kaingang e Guarani);
    • Revitalizar a ancestralidade cultural das etnias;
    • Incrementar a dignidade das comunidades;

Resultados esperados

  • Pesquisa para aprofundamento de saberes sobre o público-alvo;
  • Diagnóstico das demandas do público-alvo;
  • Realização de oficinas;
  • Atendimento a 1 (uma) demanda específica por comunidade atendida;

Atividades

  • Grupo de Trabalho; Observação participante nas comunidades envolvidas;
  • Realização de oficinas que capacitem e instrumentalizem a comunidade para o desenvolvimento de ações sustentáveis nas comunidades e favoreçam o intercâmbio entre as comunidades indígenas;
  • Atendimento a 1 demanda específica em cada comunidade atendida, em consonância com um ou mais critérios: geração de renda, ambiental, revitalização da cultura ancestral e fomento a organização de comunidades sustentáveis;
  • Capacitação de representantes das comunidades e de membros da equipe, estimulando o intercâmbio entre as comunidades e as etnias;
  • Produção e publicação de um livro que divulgará as ações realizadas, os resultados obtidos e os conhecimentos adquiridos durante a execução do proejto, de forma a promover um maior conhecimento sobre a cultura indígena por parte da sociedade em geral;

Duração

  • 12 meses

Indicadores de impacto

  • Melhoria das condições que propiciam a qualidade de vida nas comunidades, com base nos pontos a serem observados;

Meios de verificação

  • Pesquisa inicial (atribuição de índice de 0 a 10)
  • Pesquisa final (atribuição de índice de 0 a 10)

Indicadores de efetividade

  • Criação de indicadores sócio-econômico- cultural, pelo menos 50% dos pontos observados;
  • Capacitação de representantes das comunidades atendidas através de pelo menos 1 a 3 oficinas e 1 intercâmbio cultural;

Meios de verificação

  • Observação participante
  • Avaliação das oficinas e intecâmbios realizados;
  • Avaliação da incorporação das técnicas e procedimentos apresentados nas oficinas e intercâmbio nos processos produtivos;

Indicadores de desempenho

  • Registro de incrementode pelo menos 1 das técnicas e/ou procedimentos apresentatadas nos processos produtivos das comunidades atendidas;
  • Produção de material para a publicação para registro teórico e divulgação dos indicadores desenvolvidos, de 1 catálogo a 1 livro.

Meios de verificação

  • Relatórios de campo da equipe técnica;
  • Relatórios de análise de resultados da equipe de Monitoramento de Pesquisa;
  • Análise de depoimentos gravados de representantes das comunidades atendidas;

Sistema de monitoramento do projeto

  • relatórios de compilação de pesquisas de campo;
  • avaliações com a comunidade;
  • registros fotográficos;
  • auditoria e avaliação externas;
  • reuniões periódicas;
  • relatório de atividades realizadas;
  • prestação de contas;
  • publicação dos resultados
Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s